O arrependimento quando chega
Faz chorar, faz chorar
Os olhos ficam logo rasos d’água
E o coração parece até que vai parar

Para ver se te esquecia procurei amar alguém
Mas eu vi que não podia viver sem te querer bem
Hoje estou arrependido, implorando o teu perdão
Muito eu tenho sofrido com esta separação

O arrependimento quando chega
Faz chorar, faz chorar
Os olhos ficam logo rasos d’água
E o coração parece até que vai parar

Fui o único culpado da nossa separação
Por isso tenho amargado pagando na solidão
O meu arrependimento é sincero de verdade
Pense ao menos um momento na nossa felicidade

Arrependimento (Silvio Caldas / Cristóvão Alencar)

silviocaldasarrependimentoselo
Silvio Caldas, 1935
acomp. por Benedito Lacerda e seu Conjunto
do filme “Favela dos Meus Amores”
78 rpm Odeon 11.241-a

mariliamedalha1968
Marilia Medalha, 1968
arranjos e regência: Rogério Duprat
LP Philips 765.047

Ogunde Uareré – Bidu Sayão (1947)

Ogunde Uareré

Harmonização: Francisco Ernani Braga

Soprano: Bidu Sayão

Piano: Milne Charnley

1947

 

João da Baiana no seu Terreiro, 1955

João da Baiana no seu Terreiro
Amalá de Xangô
Nanan Boroquê
78 rpm Odeon 13.850
1955

Sambanzo e Juçara Marçal ao vivo no CCSP (3/12/2011)

Ogum-Yára

Promessa de pescador

Man féri man

Goma-Laca no Metrópolis

Inezita escuta Soca pilão